Buscar

Saúde Mental em Foco

Podem ser diversos os fatores que levam alguém a tirar a própria vida, e quando se trata de povos indígenas o tema é ainda mais amplo, visto que existem cerca de 305 etnias com 274 línguas. Pelo segundo ano o Ministério da Saúde aponta que o registro de óbitos por suicídio é maior entre indígenas quando comparado a branco e negros.

De acordo com a pasta, a mortalidade por suicídio é alta entre os homens indígenas, 23,1 mortes por 100 mil habitantes enquanto que a taxa para homens brancos é de 9,5, e negros 7,6 mortes. Entre as mulheres indígenas a taxa também maior (7,7), na comparação com brancas (2,7) e negras (1,9).


Alarmante ao compararmos com a média nacional. O Brasil registrou uma média de 5,8 óbitos para 100 mil habitantes, a maioria entre os 15 e 29 anos de idade. Na população indígena foi quase três vezes maior que a média nacional, 15,2 registros por 100 mil, sendo 44,8% jovens em idade entre 10 e 19 anos.


O que estaria elevando essas taxas nas populações originárias? A Organização Mundial de Saúde (OMS) esclarece que são diversos os motivos, conflitos interpessoais, transtornos mentais, problemas familiares, abuso de sustâncias, e os contextos social e cultural em que se encontra o indivíduo e/ou a população são alguns dos aspectos que devem se levados em conta para a ocorrência de suicídio.



Falar é a Melhor Solução




“Se tem vida, tem jeito!!!!”
“Uma história contada tem uma emoção expressada e uma dor acolhida”
“Como a gente cuida de quem está ao nosso lado?”



Fonte:

[1] Taxa de suicídios entre indígenas é três vezes superior à média do País

Outras fontes para subsídio:

[2] Prevenção do suicídio, saúde indígena em debate

[3] Prevenção do suicídio: sinais para saber e agir

0 visualização

Site criado por Alexandre Pankararu, em novembro de 2018, com o apoio dos colaboradores da REJUIND.

REJUIND - REDE DE JUVENTUDE INDÍGENA

E-mail: rejuind@gmail.com